MULHERES MOBILIZADORAS


AMOR ACIMA DE TUDO


ENRAIZAMENTO E DESAFETAMENTO


UM DEUS QUE NASCE DO OLHAR 





Simone Adolphine Weil ,   Uma procura da vida vivida

(Paris3 de fevereiro de 1909 — Ashford24 de agosto de 1943) foi uma escritora, mística e filósofafrancesa, tornou-se operária da Renault para escrever sobre o cotidiano dentro das fábricas.


Lutou na Guerra Civil Espanhola, ao lado dos republicanos, e na Resistência Francesa, em Londres; por ser bastante conhecida, foi impedida de retornar à França como pretendia; acometida de tuberculose, não teria admitido se alimentar além da ração diária permitida aos soldados, nos campos de batalha, ou aos civis pelos tickets de racionamento.


Com a progressiva deterioração de seu estado de saúde, em estado de desnutrição, faleceu poucos dias depois de seu internamento hospitalar.


Simone Weil reflecte permanentemente, não sobre o sentido abstracto, mas sobre a vida das pessoas concretas, com as suas dúvidas e hesitações, com as carências e a miséria. Num diálogo conhecido com Simone de Beauvoir na adolescência,


Weil terá dito que estava muito mais preocupada com as circunstâncias concretas da condição humana, do que com a busca de um sentido para a existência, por muito que isso fosse importante, no entanto, o fundamental seria compreender as dificuldades concretas, a provação e a pobreza de quem sofre.. 


RENÚNCIA AO TEMPO

O passado e o futuro obstruem o efeito salutar da infelicidade fornecendo um campo ilimitado para elevações imaginárias. Por isso a renúncia ao passado e ao futuro é a primeira das renúncias.

Quando somos decepcionados por um prazer que esperávamos e que chega, a causa da decepção é que esperávamos o futuro. E quando ele chega é o presente. Seria preciso que o futuro chegasse sem deixar de ser futuro. Absurdo que somente a eternidade cura.


BELEZA

Em tudo o que suscita em nós o sentimento puro e autêntico do belo, há realmente presença de Deus. Há como que uma espécie de encarnação de Deus no mundo, cujo sinal é a beleza. O belo é prova experimental de que a encarnação é possível.

Devemos ter cometido crimes que nos tornaram malditos, uma vez que perdemos toda a poesia do universo.





A GRAVIDADE E A GRAÇA LIVRO POR SIMONE WEIL


Os textos nus e simples de Simone Weil reunidos nesta coletânea de pensamentos traduzem uma experiência interior de uma autenticidade e uma exigência incomuns, que o leitor atento saberá reconhecer.


A leitura de “A Gravidade e a Graça” de Simone Weil (1909-1943) é o mergulho intenso numa reflexão que permite assinalar com conhecimento de causa o centenário do nascimento de uma das personalidades mais ricas do século XX.


E só esta invocação poderá ser fiel à existência de uma mulher que se colocou no epicentro das grandes angústias e incertezas de um século em que muitas esperanças se tornaram tragédias e em que muitos dramas puderam abrir novos horizontes de humanidade (Tradução de Dóris Graça Dias, Relógio de Água, 2004). George Steiner disse, aliás, que “entre os grandes espíritos femininos de todo o mundo, o de Weil impressiona-nos por ser aquele que é mais evidentemente filosófico, aquele que está familiarizado com a ‘luz da montanha’ (como diria Nietzsche) da abstração especulativa”.   


1507-1.jpg

O AMOR


O amor a Deus é puro quando a alegria e o sofrimento inspiram uma igual gratidão. O amor, em quem está feliz, é querer partilhar o sofrimento do amado infeliz. O amor, em quem está infeliz, é satisfazer-se  com o simples conhecimento de que o amado desfruta a alegria, sem ter parte nesta alegria, nem sequer desejar te parte nela.


É um erro desejar ser compreendido antes de ter elucidado a si mesmo aos próprios olhos. É buscar prazeres na amizade, e não merecidos. Você venderia sua alma pela amizade. Aprenda a repelir a amizade, ou melhor, o sonho da amizade. Desejar amizade é um grande erro. A amizade deve ser uma alegria gratuita como as que oferecer a arte, ou a vida. É preciso recusá-la para ser digno de recebê-la: ela é da ordem da graça (‘Meu Deus, afastai-vos de mim…’).


É dessas coisas que são dadas por acréscimo. Todo sonho de amizade merece ser quebrado. Não é por acaso que você nunca foi amado…Desejar escapar à solidão é uma covardia. A amizade não se busca, não se sonha, não se deseja; ela se exerce (é uma virtude).

ALEGRIA , EXPRESSÃO DO DEUS QUE HABITA EM NÓS !










   



ACEITAR O VAZIO


Acreditamos por tradição quanto aos deuses, e vemos por experiência quanto aos homens, que sempre, por uma necessidade de natureza, cada ser exerce todo o poder que dispõe’ (Tucídides) Como gás, a alma tende a ocupar a totalidade do espaço que lhe é concedido. Um gás que se retraísse e deixasse o vazio seria contrário à lei da entropia. Não acontece assim com o Deus dos cristãos. Trata-se de um Deus sobrenatural…


Não exercer todo o poder de que se dispõe é suportar o vazio. Isso é contrário a todas as leis da natureza: somente a graça o pode. A graça preenche, mas ela só pode entrar onde há um vazio para recebê-la, e é ela que produz esse vazio.


Aceitar um vazio em si mesmo é sobrenatural. Onde encontrar a energia para um ato sem contrapartida? A energia deve vir de outra parte. Porém, é preciso primeiro um rompimento, algo de desesperado, é preciso primeiro que um vazio se produza. Vazio: noite escura.


É preciso uma representação do mundo em que haja vazio, a fim de que o mundo tenha necessidade de Deus. Isso supõe o mal.